terça-feira, 19 de agosto de 2008

A busca não é um fim

Existe um mito que nos compele a buscar o porquê de tudo e de todos. É como se um buscador fosse sempre melhor do que aqueles que nada procuram. Esse mito, estou pondo para dormir.

O buscador - de respostas, de luz, de prazer, de felicidade - nem sempre tem um norte e, muitas vezes, a sua busca é motivada apenas pela insatisfação. Veste, assim, uma máscara de grandeza exterior para esconder sua confusão interior.

É verdade que parece ser da natureza humana querer sempre mais - e nisso, por si só, não há mal nenhum. O ponto está em perceber que há vezes em que mais é menos e vice-versa.

Para que a busca não seja vã, deixemos os porquês de lado por um momento e nos concentremos inicialmente no "o quê". Antes do querer, que venha o saber: saber o que se quer. Quando não se sabe o que se quer, toda busca se perde no mero acúmulo. Acumulam-se saberes, fatos, alegrias e decepções, tal como se acumulam moedas. No final, a pergunta que resta é um espantado "para quê?".

É importante, portanto, que, antes de partirmos para qualquer busca, definamos o que queremos. E aqui algo para aqueles que têm "olhos de ver e ouvidos de ouvir": se o que quisermos for Nada, que Nada busquemos.

4 comentários:

anderson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
anderson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
anderson disse...

Olá Frater;
"Despertei" há cinco anos após um acidente, uma pancada na pia de meu banheiro com a cabeça. Diante desta situação minha vida mudou profundamente, nunca havia lido um livro, após o incidente comecei com Freud, depois fui para Krishnamurti, dai para Jung, Teosofia, Blavatsky, Gnose, Buddhismo Tibetano, Hinduismo, Ordem Ramakrishna, Osho, Thelema, Maçonaria, Rosacrucianismo(Heidel, Lewis e Krumm-Heller)...etc, além do fato de ter morado num local chamado Comunidade Urbanativa sob a orientação de Leonardo Gonçalves de Curitiba, baseado nesse pequeno relato gostaria de saber se podemos atuar juntos, também gostaria que desse uma olhada no meu retrado do Céu (mapa astral, creio termos certas "coincidencias")...e embasado nesse relato e em meu mapa astral gostaria de saber se tenho aptdão Cósmica para trabalhar na Grande Obra, sob Orientação de vossa ordem Canalizando minha essência, pois acredito ter potencial, porém reconheço precisar de uma orientação.

Paz a todos;
Paz e Amor/26
Anderson Paul
(12) 3116-1171

fatima disse...

Engraçado...depois de passar por muitas Organizações (embora só tenha realmente pertencido a uma) , acho que procurava isso mesmo - Nada.